Publicidade

Publicidade

20/02/2009 - 06:30

“Playboy” americana pode ser vendida

Compartilhe: Twitter

O CEO da Playboy diz que considera vender a publicação (ou alterar sua direção estratégica). O problema: a revista perdeu muito dinheiro em 2008. Li na Folio. O jornal Chicago Tribune, da cidade em que a Playboy nasceu, também noticiou.

Autor: - Categoria(s): Jornalismo, negócios Tags: ,
11/02/2009 - 07:29

Almoço de negócios: quem paga a conta?

Compartilhe: Twitter

Boa pauta para os tempos de crise econômica publicada no caderno de gastronomia do New York Times: num almoço de negócios, quem deve pagar a conta?

Autor: - Categoria(s): Gastronomia, negócios Tags: ,
29/01/2009 - 07:03

Todo mundo quer lançar um livro

Compartilhe: Twitter

Esta reportagem de Motoko Rich, do New York Times, descortina uma tendêndia do mercado editorial — ao menos do mercado norte-americano: enquando as editoras de livros tradicionais lutam contra a crise (e contra a falta de leitores), empresas especializadas em publicar “edições do autor”, obviamente cobrando por isso, florescem e lucram. Em 2008, a Author Solutions, uma dessas empresas, publicou 13 mil títulos (12% a mais do que no ano anterior). Este mês, seus donos compraram uma rival, a Xlibris, e o total combinado de títulos lançados chega a 19 mil em 2008, quase seis vezes mais que a Random House, a maior editora do mundo.

Autor: - Categoria(s): Livros, negócios Tags: ,
07/10/2008 - 09:13

Guerra gastronômica no Oriente Médio

Compartilhe: Twitter

Uma espécie de briga gastronômica no Oriente Médio. O Líbano quer processar Israel por comercializar tabouleh, kubbeh, hummus, falafel (foto) e fattoush. Leia a matéria “Lebanon: Israel stole our falafel” (“Líbano: Israel roubou nosso falafel”) para entender o caso.

Autor: - Categoria(s): cultura, Gastronomia, negócios Tags: ,
02/10/2008 - 06:32

O reparador de máquinas de escrever

Compartilhe: Twitter

A Business Week fez uma matéria com Paul Schweitzer, 69, especialista em consertar máquinas de escrever. Eu sempre gosto de ler essas reportagens sobre profissões que exigem grande perícia mas que estão, aos poucos, desaparecendo. Outro dia li na revista Trip um pequeno texto de Lino Bocchini sobre um homem que conserta máquinas de fliperama da Taito (hoje em dia uma máquina em funcionamento não sai por menos de 4 mil reais, informava a nota). Não me lembro do nome dele, mas posto aqui assim que conseguir achar a edição. É um ótimo personagem. (Sugestão do Marcelo Trindade).

Autor: - Categoria(s): negócios Tags: ,
01/10/2008 - 07:18

Infográfico mostra desempenho de filmes

Compartilhe: Twitter

Este infográfico interativo é bem interessante: mostra o desempenho nas bilheterias de filmes americanos, de 1986 até 2008. Pode servir de exemplo para gráficos de sites brasileiros.

Autor: - Categoria(s): Cinema, negócios Tags: , ,
15/05/2008 - 07:11

Energético estranho

Compartilhe: Twitter

Em setembro do ano passado, eu sugeri uma matéria da Time que dizia basicamente o seguinte: está cada vez mais fácil achar produtos com cafeína nas gôndolas dos supermercados (chicletes e balas de menta, por exemplo, além do café). O texto da revista mencionava um produto estranho: um pó branco energético de cafeína, o Blow, que claramente associava a marca a uma droga ilegal, a cocaína. Hoje, vi que a NBC fez uma reportagem sobre o assunto. Assista. As associações são mais descaradas do que eu imaginei.

Autor: - Categoria(s): negócios, saúde Tags:
Voltar ao topo