Publicidade

Publicidade
09/03/2009 - 07:11

Quando o assunto é livro, muita gente mente

Compartilhe: Twitter

Você já mentiu quando perguntado se já leu este ou aquele livro? Se a sua reposta é sim, não se preocupe. Segundo matéria publicada pelo jornal The Guardian, muita gente faz isso. Uma pesquisa mostrou que 65% dos entrevistados admitiram ter mentido alguma vez nessas circunstâncias. Por curiosidade, os livros sobre os quais as pessoas mais mentem são os seguintes: “1984”, de George Orwell — o primeiro da lista; depois, “Guerra e Paz”, de Tosltoy, “Ulysses”, de Joyce e a Bíblia. Boa pauta (o Telegraph também abordou o assunto). Aproveito para lembrar que a primeira edição de “1984” completou 60 anos (achei esta edição comemorativa, em inglês). Dá para baixar uma versão em áudio, também.

Autor: - Categoria(s): Comportamento, Livros Tags:

Ver todas as notas

Sem comentários para “Quando o assunto é livro, muita gente mente”

  1. Cris disse:

    Engraçado, eu não minto.

    Inclusive, como tenho sérios problemas de memória, já aconteceu de me perguntarem o nome do livro que eu estava lendo e eu ter que responder: ah, é aquele, sobre a guerra, que se passa em Dresden, o autor é americano, ficou conhecido como pacifista,… sabe?…., qual o nome mesmo? O personagem é um optometrista, conhece gente de outro planeta… aiai…. MATADOURO 5!

    (ufa)

    O pior é quando isso acontece com clássicos, tipo Cem Anos de Solidão, o que aumenta minha vergonha pela minha memória =/

  2. Cris disse:

    Tem um detalhe: quando eu estava lendo Matadouro 5, deu branco até do nome do autor. Que agora, miraculosamente, me veio à cabeça: Kurt Vonnegut (talvez escrito de outra forma).

    E todo mundo me dizia: pô, por que não mentiu? Tão mais fácil…!

  3. Johnny disse:

    Ricardo, eu leio seus posts todos os dias!
    Excelente seu blog (isso é verdade).

  4. Marília Levy disse:

    engraçado isso! hahaha

  5. […] baseada em curiosa pesquisa divulgada no The Guardian, revelando que 65% dos britânicos mentem sobre o que já leram: Como […]

Os comentários do texto estão encerrados.

Voltar ao topo