Publicidade

Publicidade

Arquivo da Categoria Uncategorized

25/02/2009 - 13:24

Um jornalismo sem jornais

Compartilhe: Twitter

Para jornalistas e estudantes de jornalismo, um bom texto publicado no El País. O autor é Jaume Guillamet, professor da Universitat Pompeu Fabra, de Barcelona. Segue o título e o olho:

Defendiendo la verdad y la razón
Es difícil, aunque no imposible, imaginar un periodismo sin diarios impresos. No es tan difícil, en cambio, imaginar diarios sin el periodismo de calidad indispensable para la salud de una sociedad democrática”

Autor: - Categoria(s): Jornalismo, Uncategorized Tags:
20/02/2009 - 06:41

Um ilustrador: Andy Smith

Compartilhe: Twitter

Bacana o trabalho do ilustrador Andy Smith. Vale uma olhada.

Autor: - Categoria(s): ilustração, Uncategorized Tags:
16/02/2009 - 07:20

“Walden” e outros 99 livros grátis online

Compartilhe: Twitter

Gostei deste post do Universities and Colleges: “Walden e 99 outros livros online grátis que todo estudante de humanidades deveria ler“. Para quem domina a língua inglesa, disponibiliza links para arquivos de vários clássicos da literatura que são de domínio público. O já citado “Walden“, de Thoreau (foto), também é minha indicação número 1. Mas também dá para baixar a obra completa de Shakespeare, se você preferir. Ou, um dos meus textos favoritos de Oscar Wilde: “A Importância de Ser Prudente“.

Autor: - Categoria(s): internet, Livros, Uncategorized Tags: ,
12/02/2009 - 07:07

Uma coleção de capas da “Sports Illustrated”

Compartilhe: Twitter

Neste link do jornal New York Post, uma galeria com a história das capas das edições de “maiôs e biquínis” da revista Sports Illustrated. É interessante acompanhar a mudança de estilo (na moda e no design das capas) através dos anos. (Dica da Nina Bandeira).

Autor: - Categoria(s): Uncategorized Tags:
01/02/2009 - 16:48

Um retrato poético do Rio de Janeiro

Compartilhe: Twitter

Um poético retrato do Rio de Janeiro neste vídeo da artista Dominique Gonzalez-Foerster. Assista.

Autor: - Categoria(s): Uncategorized Tags:
14/01/2009 - 06:36

Um documentário: a história da Índia

Compartilhe: Twitter

Um documentário sobre a história da Índia (em inglês) que foi exibido pela PBS. Parte 1 e parte 2. (Dica da Marta Napolitano).

Autor: - Categoria(s): Uncategorized Tags:
09/01/2009 - 06:07

Cigarros combinam com shows de rock

Compartilhe: Twitter

Circular: “Não sou arredio em relação a nenhum ritmo, mas não abro mão de uma coisa: o volume tem que ser agradável. Outro dia, um barco ancorou na baía, bem em frente a minha casa, e ligou um bate-estaca no máximo para animar uma festa no mar. O cara só pode ter feito aquilo para anestesiar os convidados e evitar que percebessem que as músicas eram de quinta. Som nas alturas impede que as pessoas pensem. É algo que vai contra as leis da natureza. Ou alguém já ouviu um trovão durar cinco horas?

Há um tempo, fui ver os Titãs no palco. Perguntei ao Arnaldo Antunes onde o volume do show seria mais baixo. Ele me sugeriu que ficasse atrás do palco. Quando o grupo entrou, tremi. Ainda bem que, seguindo uma dica do Ritchie, cortei os filtros de dois cigarros o mais rápido que pude e enfiei um em cada ouvido. Cigarros combinam com shows de rock.” (João Donato, “O que aprendi“, na revista Piauí).

Autor: - Categoria(s): circular, Uncategorized Tags:
04/12/2008 - 06:03

A volta de um drink: White Russian

Compartilhe: Twitter

O White Russian, um drink fora de moda, renasceu graças aos fãs do filme “O Grande Lebowski” (foto). O New York Times fez matéria sobre o assunto. É fácil de fazer.

Autor: - Categoria(s): Cinema, Gastronomia, Uncategorized Tags: ,
28/11/2008 - 06:39

Viajando ao som de Beethoven

Compartilhe: Twitter

A “viagem” de Schroeder tocando uma sonata de Beethoven. Gostei. Via Boing Boing.

Autor: - Categoria(s): animação, Uncategorized Tags:
20/10/2008 - 05:43

Compartilhe: Twitter

Circular: “Dezembro é o mês de uma infinidade de frases, que se repetem em todos os anos, sempre as mesmas. Vamos lembrar algumas, que estão sendo ditas, desde o dia 1º.:

“O ano passou num abrir e fechar de olhos”

“Você reparou quanta gente conhecida morreu este ano?”

“E todas quando a gente menos esperava”

“Eu espero que o ano que vem seja um pouquinho melhor”

“Pois eu, minha filha, não tenho nada que me queixar. Luís Mário passou de ano”

“Nunca houve um ano tão ruim para negócios”

“Vocês já viram quanto está custando um quilo de castanhas?”

“Minha filha, com a vida pelo preço que está, nós não vamos fazer nada.    Mas,  se você quiser aparecer lá em casa, com as crianças, só nos dará prazer”

“Eu tenho horror a datas… se não fossem as crianças…”

“Natal de pobre é no dia 26”

“Se o Dagoberto não estivesse tão atropelado,eu ia pedir para ir, com as crianças, passar Natal nos Estados Unidos”

“Olhe, Daniel, como eu sei que os seus negócios não vão bem, vou deixar os brincos de e esmeraldas para o ano que vem”

“Mamãe, o Luís Otávio falou que Papai Noel é o pai da gente”

“Olhe, se você não comer o ovinho todo, Papai Noel vai ficar tão triste que é capaz de não vir”

“Deixa passar esse negócio de Natal e Ano-Bom, que eu vou estudar uma maneira de ir pagando devagarzinho”

“Bom, o regime eu só vou começar depois do ano”

“Você não vai encontrar banco nenhum que desconte este título, a não ser depois do dia 1º.”

“Eu quero ver se, de janeiro em diante, paro de fumar e de beber”

“Este ano só quem mandou presente foi o armazém e, assim mesmo, uma garrafinha de vinho do Porto”

“Eu já avisei a todo mundo, que não quero nada, porque não tenho para dar a ninguém”

“Logo que as crianças terminarem os exames, eu boto tudo num automóvel e levo lá para um sitiozinho que eu tenho em Thiago de Melo”

“Vocês sabiam que, no Norte, eles chamam rabanadas de fatias paridas?”

“O que é que você mais desejaria que o Ano Novo lhe trouxesse?”

“Minha filha, eu e as crianças estando com saúde, não preciso de mais nada”

“Minha mulher é uma santa. Ela falou que tudo o que eu tivesse de dar de Natal, desse às crianças”

“Falaram tanto dessas cestas! Você viu o que veio dentro?”

“Pois olhe, lá em Portugal, um quilo de castanhas custa três escudos”

“Mas, hoje em dia, qual é a diferença que existe entre o champagne nacional e o francês?”

“Com este, faz não sei quantos natais que eu não como uma fatia de peru”

“Você acha que, com as coisas como estão, este Governo agüenta até o fim do ano?”

Rio, 14/12/59

(Antônio Maria em “O Jornal de Antônio Maria”, Editora Saga)

Autor: - Categoria(s): Uncategorized Tags:
Voltar ao topo