Publicidade

Publicidade

Arquivo da Categoria Jornalismo

17/03/2009 - 06:50

Jornalismo integrado: 8 estudos de casos

Compartilhe: Twitter

Parece bacana este livro para quem se interessa por mídia e por jornalismo: “Periodismo Integrado: Convergencia de medios y reorganización de redacciones“, de Ramón Salaverría e Samuel Negredo. Eles apresentam estudos de caso de convergência de meios em oito redações: Clarin, The Tampa Tribune, The New York Times, The Guardian, The Daily Telegraph, Schibsted, Financial Times e o nosso O Estado de S. Paulo. O capítulo sobre Daily Telegraph está disponível em PDF.

Autor: - Categoria(s): internet, Jornalismo, mídia Tags:
13/03/2009 - 07:27

Nos Estados Unidos, revistas começam a aceitar anúncios nas capas

Compartilhe: Twitter

Uma discussão jornalística para os novos tempos: revistas americanas começam a permitir que a capa, antes intocável editorialmente, seja um suporte para peças publicitárias. É uma “emblemática mudança de padrões na aceitação da publicidade”, diz este texto (em inglês) do New York Times. Vale dar uma lida. Acima, a capa da edição de fevereiro da Esquire, que causou polêmica justamente por ter, segundo alguns, cruzado a linha entre o conteúdo publicitário e o editorial. Bom debate.

Autor: - Categoria(s): Jornalismo, publicidade Tags: ,
12/03/2009 - 23:19

Lições de Ronaldo para o jornalismo

Compartilhe: Twitter

   1. pensar é mais importante que correr
   2. frase do próprio Ronaldo: “Eu arrisco. Não tenho medo de errar”

Via Ana Estela de Sousa Pinto.

Autor: - Categoria(s): Jornalismo Tags:
12/03/2009 - 06:10

“Sobre jornalismo”

Compartilhe: Twitter

Circular: “(…) O problema dos jornais do primeiro escalão é que quase todos estão hoje nas mãos de homens que vêem o jornalismo como uma espécie de linha auxiliar para empreitadas maiores e mais lucrativas — como um meio conveniente de enrolar a anestesiar um público que, de outra forma, se voltaria contra eles. (O que, de certa forma, acontece quando os jornais marrons se voltam contra eles e os expõem.) A exata natureza destas empreitadas maiores e mais lucrativas nem sempre é muito óbvia. É fácil, naturalmente, somar dois e dois quando um rico empreiteiro, latifundiário ou banqueiro compra um jornal, ou quando outro é comprado por alguém notoriamente de olho numa carreira política. Mas, de vez em quando, o comprador é um sujeito cujo negócio é mais ou menos respeitável e quer não demonstra uma esganação pelo Senado. Então, por quê? Por que arriscaria tanto dinheiro em tal jogo?

A resposta costuma ser encontrada, acredito, em seu descarado Wille zur Match — sua aspiração, perfeitamente humana, de tornar-se importante e poderoso em sua comunidade, ser cortejado pelos figurões locais, ditar as leis, fazer e desfazer funcionários públicos, atar e desatar cordões políticos. Outras vezes, sua ambição (ou talvez, mais exatamente, de sua mulher) é meramente social. Quer jantar em certas casas, ser convidado para festas e, acima de tudo, receber certos convidados em sua reluzente mansão em Gold Hill. Bem, um homem que controla um jornal importante não tem a menor dificuldade para conseguir essas ninharias. As chaves do escândalo estão em seus bolsos. Ele é poderoso. Pode premiar ou punir, direta ou indiretamente. As esperanças de todos os outros homens em sua jurisdição estão em seu poder. Se for capaz de se lembrar que a lavanda à sua frente não é para ser bebida, entrará para a sociedade a hora que quiser. (…)”

(H.L. Mencken em “Sobre Jornalismo”, texto de 1920 extraído de “O Livro dos Insultos de H. L. Mencken”, via Profissão Repórter).

Autor: - Categoria(s): Jornalismo Tags:
09/03/2009 - 07:00

Armando Antenore entrevista Deus

Compartilhe: Twitter

O jornalista Armando Antenore entrevistou Deus para a Bravo. É o vídeo-piloto da seção “Máscara”.

Autor: - Categoria(s): cultura, Jornalismo Tags: ,
09/03/2009 - 06:40

BBC abrirá universidade virtual

Compartilhe: Twitter

Boa dica da Ana Estela de Sousa Pinto que reproduzo aqui — para jornalistas e estudantes de jornalismo:

“Dica da minha leitora Patrícia: a BBC vai abrir em breve sua universidade virtual. Eu visitei a emissora no ano passado e vi os programas de treinamento (on-line e ao vivo) que eles têm. É de matar de inveja:
Milhares de páginas com dicas de capacitação, vídeos e guias sobre quase todos os aspectos do jornalismo — desde técnicas de entrevista à reportagem de campo e comentário esportivo -– que anteriormente estavam disponíveis apenas para os 7.500 empregados da BBC estarão agora abertas ao público, escreve em seu blog Darren Waters, da BBC.

A Faculdade Virtual da BBC — uma rede de pequenos sites que conversam entre si, trocando informações e dicas sobre jornalismo -– será colocada à disposição do público em algumas semanas. A instituição virtual já possui endereço no Facebook, Twitter e no Ning, diz Waters. (O Ning é uma plataforma de criação e gestão de redes sociais.)”.

Autor: - Categoria(s): Jornalismo Tags:
06/03/2009 - 06:33

“Hay que ‘enfurecerse’, pero sin perder la ‘brandura’ jamás.

Compartilhe: Twitter

Sugestão de leitura: o texto “A briga em que todos perdem“, de Eugênio Bucci, publicado no Observatório da Imprensa, sobre a polêmica em torno do editorial da Folha de S.Paulo que chamou a ditadura militar no Brasil de “ditabranda”. O artigo de Bucci começa assim:

“Hay que ‘enfurecerse’, pero sin perder la ‘brandura’ jamás.

Lá se vão duas semanas do fatídico editorial da Folha de S.Paulo que, após alertar para o risco de tirania que se avoluma na Venezuela, referiu-se de passagem à ditadura militar no Brasil como um regime cujo grau de truculência teria sido relativamente tênue. Por terem preservado ou instituído ‘formas controladas de disputa política e acesso à Justiça’, os governos militares entre 1964 e 1985 teriam pertencido à categoria – até então desconhecida de todos nós – das ditaduras amenas, ou, nos termos do editorial, das ‘chamadas ditabrandas’.

Foi um terremoto no agreste. O neologismo trocadilhesco, meio de pé quebrado, provocou uma erupção vulcânica de cartas à redação. Cartas furibundas. Várias foram publicadas nos dias subseqüentes no ‘Painel do Leitor’ da própria Folha“.

Autor: - Categoria(s): Jornalismo Tags:
02/03/2009 - 08:17

Crise muda a pauta das revistas de gastronomia

Compartilhe: Twitter

A crise econômica afetou a pauta das revistas de gastronomia dos Estados Unidos, informa esta matéria publicada na edição de hoje do New York Times. Acostumadas a falar de temas nobres para leitores muito qualificados, elas agora estão publicando matérias sobre gastronomia barata para a cozinha de casa. A revista Gourmet, por exemplo, que geralmente fala sobre restaurantes caros, agora ensina como reaproveitar as sobras – e colocou um sanduíche em sua capa de março.

Autor: - Categoria(s): Gastronomia, Jornalismo Tags:
02/03/2009 - 06:25

A entrevista com Jean Daniel (agora em português)

Compartilhe: Twitter

O caderno Mais! da Folha publicou a tradução daquela entrevista com Jean Daniel, diretor da Nouvel Observateur, que eu sugeri aqui. Um trecho:

PERGUNTA – Em seu livro sobre Camus, leem-se quatro diretrizes que resumem as obrigações de um jornalista: “Reconhecer o totalitarismo e denunciá-lo. Não mentir e saber admitir o que se ignora. Negar-se a dominar. Negar-se sempre, sob qualquer pretexto, a praticar qualquer tipo de despotismo, incluindo o provisório”. Quais são, para o sr., as obrigações de um jornalista hoje?
DANIEL
– A lista de Camus ainda é válida. O que é preciso acrescentar a ela? Provavelmente a capacidade de conhecer as novas armadilhas da tecnologia. Quando Camus enumerou essas obrigações, ainda não existia a televisão. E o reinado da imagem mudou tudo, incluindo a forma de escrever. Imagine um romancista que escrevesse um romance e em cada parágrafo alguém lhe dissesse que seu nível de audiência estava caindo ou subindo. Escrever em razão da reação imediata do leitor! A grande inovação que intensificou os temores enunciados por Camus é a simultaneidade, a onipresença, o fato de que, quando alguém fala, faltam segundos para que a Terra toda saiba o que diz. Isso é algo extraordinário.

PERGUNTA – O sr. diz que a ameaça à vida privada é o pior defeito do jornalismo atual.
DANIEL
– Há muita gente que pensa que a transparência é algo muito importante e que, se a vida pública se misturou à vida privada, o leitor tem o direito de conhecê-la. Há pessoas de alto nível que pensam que, se [o premiê italiano, Silvio Berlusconi mistura sua vida pública com seus interesses privados, temos o direito de conhecer detalhes desses fatos. Há pessoas que não são desonestas, mas que pensam dessa forma. E isso nos pode levar muito longe.

Autor: - Categoria(s): Jornalismo Tags:
26/02/2009 - 07:17

As primeiras edições de quase 200 revistas

Compartilhe: Twitter

Dica para jornalistas, designers e interessados por mídia em geral: Danielle Huthart colocou na web a edição número 1 — capa, expediente e um breve descritivo – de quase 200 revistas de sua coleção: está no site criado por ela, o Premiere Issues. Dá uma olhada no arquivo, é bacana. Via Los Angeles Times.

Autor: - Categoria(s): Design, Jornalismo Tags: ,
Voltar ao topo