Publicidade

Publicidade
29/11/2007 - 06:20

Compartilhe: Twitter

Circular: “É preciso estar sempre embriagado. Tudo se resume a isso: é a única questão. Para não sentir o horrível fardo do Tempo, que te pesa sobre os ombros, e que te inclina sobre a terra, é necessário que te embriagues sem trégua. Mas de quê? De vinho, de poesia ou de sabedoria, a tua escolha. Mas embriaga-te. E se alguma vez, nas escadarias de um palácio, ou sobre a relva verde de uma encosta, na solidão morna do teu quarto, tu acordares, a embriaguez já semidesfeita ou já extinta, pergunta ao vento, à onda, à estrela, ao pássaro, ao relógio, a tudo que flui, a tudo que geme, a tudo que gira, a tudo que canta, a tudo que fala, pergunta que horas são; e o vento, a onda, a estrela, o pássaro, o relógio te responderão: ‘É hora de embriagar-te! Para não seres escravo regido pelo Tempo, embriaga-te sem cessar!’” (Charles Baudelaire)

Autor: - Categoria(s): Uncategorized Tags:

Ver todas as notas

1 comentário para “”

  1. mxn disse:

    Excelente!! Vou lembrar desse trecho em muitos momentos, assim como já lembrei de muitos momentos ao ler essas linhas.

Os comentários do texto estão encerrados.

Voltar ao topo