Publicidade

Publicidade

Arquivo de fevereiro, 2008

28/02/2008 - 09:55

As jóias de Alexander Calder

Compartilhe: Twitter

O Norton Museum of Art está expondo objetos de joalheria confeccionados pelo artista plástico Alexander Calder (1898-1976). “Alguns itens refletem movimentos e gêneros que influenciaram suas esculturas, como o Surrealismo e a Arte Africana”, diz nota publicada pelo Wall Street Journal. A exposição apresenta 100 objetos, dos mais de 1800 que Calder desenhou durante sua vida, como braceletes, broches, brincos, etc. Neste link, uma galeria de fotos.
Autor: - Categoria(s): Artes Plásticas, Design Tags:
28/02/2008 - 07:07

O melhor pub da Grã-Bretanha

Compartilhe: Twitter

O centenário Old Spot Inn, em Dursley, foi eleito o melhor pub da Grã-Bretanha. Anote a dica em caso de leve desespero. O pub tem um site. Leia matéria publicada pelo jornal The Guardian. Também dá pra saber as marcas de cerveja que eles estão servindo no mês.
Autor: - Categoria(s): Gastronomia, Turismo Tags:
28/02/2008 - 07:05

Jornalismo on-line

Compartilhe: Twitter

Para quem acompanha o mundo da mídia: a Newspaper Association of America anunciou os vencedores do 2008 Digital Edge Awards. Veja aqui.

Autor: - Categoria(s): internet, Jornalismo Tags:
28/02/2008 - 06:53

Escute o silêncio

Compartilhe: Twitter

Um texto do meu baú: “Escutar o Silêncio“, em que o historiador Peter Burke “aponta as vantagens de ficar de boca fechada”. Um trecho, para esquentar o assunto: “Para nós é comum pensar o silêncio como algo negativo, a mera ausência do som. Neste artigo eu tentarei persuadir você a pensar o silêncio de uma maneira mais positiva. Os silêncios — é melhor pensar no plural — podem ser longos ou curtos. Variam tanto em qualidade quanto em quantidade. Podem ser naturais ou culturais, por exemplo. Podem ser voluntários ou forçados, espontâneos ou estratégicos, cálidos ou frios ou, como às vezes dizemos, “um silêncio de pedra”. Podem ser normais ou patológicos. A ausência do falar pode igualmente expressar discrição ou humildade. Um silêncio desdenhoso ou insolente precisa ser distinguido de um ameaçador. As pessoas se encontram sem palavras por assombro, embaraço ou até raiva. Enfim, o silêncio não é um fenômeno puramente negativo.” Foi publicado no caderno Mais!, da Folha de S.Paulo, em 1999.

Autor: - Categoria(s): cultura Tags:
28/02/2008 - 06:30

O futuro da reputação

Compartilhe: Twitter

O livro “The Future of Reputation”, “sobre privacidade, liberdade de expressão e rumores na era da internet, foi colocado sob uma licença livre pelo autor, o professor de direito da Universidade George Washington, Daniel J. Solove,” e pode ser lido neste link. Li na Folha de S.Paulo.

Autor: - Categoria(s): direito, Livros Tags:
28/02/2008 - 06:24

Um música

Compartilhe: Twitter

Uma música para começar a quinta-feira: “Dyslexic Heart“, de Paul Westerberg (que faz parte da trilha sonora do filme “Singles“, de Cameron Crowe, lançado no começo dos anos 90).

Autor: - Categoria(s): Cinema, Música Tags:
28/02/2008 - 06:20

Compartilhe: Twitter

Circular: “O destino não é só dramaturgo, é também seu próprio contra-regra, isto é, designa a entrada dos personagens em cena, dá-lhes as cartas e outros objetos, e executa dentro os sinais correspondentes ao diálogo, uma trovoada, um carro, um tiro.” (Machado de Assis, “Don Casmurro”)

Autor: - Categoria(s): circular Tags:
28/02/2008 - 06:20

Compartilhe: Twitter

Circular: “O destino não é só dramaturgo, é também seu próprio contra-regra, isto é, designa a entrada dos personagens em cena, dá-lhes as cartas e outros objetos, e executa dentro os sinais correspondentes ao diálogo, uma trovoada, um carro, um tiro.” (Machado de Assis, “Don Casmurro”)

Autor: - Categoria(s): circular Tags:
28/02/2008 - 06:20

Compartilhe: Twitter

Circular: “O destino não é só dramaturgo, é também seu próprio contra-regra, isto é, designa a entrada dos personagens em cena, dá-lhes as cartas e outros objetos, e executa dentro os sinais correspondentes ao diálogo, uma trovoada, um carro, um tiro.” (Machado de Assis, “Don Casmurro”)

Autor: - Categoria(s): circular Tags:
27/02/2008 - 11:00

Jornalismo cultural pós-moderno

Compartilhe: Twitter

Boa essa: jornalista da revista Maxim criticou o novo disco do Black Crowes sem ter ouvido (e deu duas estrelas e meia para o álbum, de cinco possíveis). A banda desconfiou, reclamou e a publicação pediu desculpas aos leitores. Leia.

Autor: - Categoria(s): Jornalismo, Música Tags:
Voltar ao topo